Quinta-feira, 10 de Julho de 2008

A DINÂMICA SÓCIO-AMBIENTAL DA CAATINGA E SUA

MIGUEL LEONARDO LIMA FILHO

Graduado em Geografia pela Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada
– FAFOPST - Professor titular de Geografia Regional da FAFOPST e Coordenador do
Curso de Geografia- FAFOPST e Professor de Geografia da Rede Oficial de Ensino do
Estado de Pernambuco.
No presente trabalho pretende-se fazer uma abordagem sobre a dinâmica natural e as potencialidades da caatinga, fazendo-se uma correlação entre a caatinga que o livro didático veicula e a caatinga real observada in loco (no sertão semi-árido nordestino).
O livro didático mostra uma caatinga sem brio, normalmente vê-se fotos tiradas durante a estação seca e para agravar somente a caatinga hiperxerófita é mostrada. Assim uma pessoa que resida no centro-sul do país ao analisar uma paisagem da caatinga à luz do livro didático terá a impressão que esta vegetação é inóspita e sempre desfolhada vendo-se apenas os cactos com aspecto vivo (verde).
A vegetação de caatinga ocupa uma área de aproximadamente 800.000 Km², isso eqüivale a 9,5% do território nacional e a 50% do nordeste; a pluviosidade varia de 250 a 800 mm/ano, sendo que nas regiões de brejos esse índice pode ultrapassar os 1000mm/ano, essa realidade é negada pelo livro didático.
Caso haja a elaboração de um planejamento fundamentado nos princípios do desenvolvimento sustentável, a caatinga poderá fornecer vários produtos ao homem sertanejo:
- Plantas medicinais – juazeiro, imburana, quixabeira, pinhão-bravo, etc.
- Plantas forrageiras – mororó, quebra-faca, maniçoba, macambira, etc.
- Madeira de lei – baraúna, angico, aroeira, pau d’arco, cumaru, etc.
- Plantas para artesanato – caroá, catolezeiro, carnaúba, etc.
- Plantas ornamentais – canafistula, catingueira, moleque-duro, macambira, etc.
- Plantas para efeito de sobrevivência – coroa-de-frade, mucunã, umbuzeiro, etc.
Por apresentar uma dinâmica natural própria, a caatinga proporciona um espetáculo pitoresco – podendo ser aproveitado para o ecoturismo – ora verde e florida, ora seca com algumas espécies em floração, porém esse lado da caatinga não é mostrado nos livros.
publicado por olharesgeograficos às 06:07
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A Democracia Brasileira c...

. Destruição do Rio Doce em...

. Geopolítica: Tragédia Sír...

. Refugiados: Para onde cam...

. AS OLIGARQUIAS E O PODER ...

. A Força do “Não”

. GEOPOLÍTICA AMERICANA NAS...

. Resenha Geográfica - Kant...

. A geografia Cultural - Ol...

. Programa de Teoria da Geo...

.arquivos

. Abril 2016

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Julho 2012

. Dezembro 2009

. Fevereiro 2009

. Julho 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds