Segunda-feira, 4 de Setembro de 2006

Estudo dos espaços agrário, urbano e industrial

Universidade Estadual da Paraíba – UEPB
Centro de Humanidades (Guarabira)
Departamento de História e Geografia
Carga horária de 132 horas aulas
Prof. Belarmino Mariano Neto

PROGRAMA DE CURSO:
Disciplina: Estudo dos Espaços Agrário, Urbano e Industrial.

Ementa: Conceitos de espaço, território, ordem, organização, Estado, Região e processo de regionalização; Ordens, dominação e subordinação e conflitos; Panorama da agropecuária no Brasil e no mundo; A questão agrária e a luta pela terra. Globalização, modernização da agropecuária e os seus efeitos sobre as paisagens. Sistemas agropecuários; estrutura fundiária, políticas de reforma agrária e as relações de trabalho no campo. Fragmentação, remembramento; A cidade e o espaço urbano em suas perspectivas históricas; o espaço urbano na ordem capitalista e seus desdobramentos sociais, políticos, econômicos, culturais e ambientais. A indústria no tempo e no espaço; urbanização e industrialização na lógica das contradições contemporâneas; subdesenvolvimento e sub-mundialização da pobreza. O capitalismo maduro e o esgarçamento dos tecidos sócio-ambientais. O Brasil no Contexto continental e internacional. Globalização e organização do espaço brasileiro; transformações geo-econômicas e organização espacial. O capital estrangeiro na organização do espaço brasileiro.
Justificativa: Os temas apontados pela ementa da disciplina são fundamentais para entendermos a organização do espaço geográfico em escalas, dentro do contexto nacional, regional e internacional, bem como suas características e classificações em relação a outros territórios geográficos. As contradições espaciais, sócio-econômicas e ambientais que marcam a construção das categorias geográficas de paisagem, região, território, espaço geográfico e meio ambiente nortearão cada passo desse programa de curso. Os Conceitos de espaço agrário, urbano e industrial serão inseridos na dinâmica materialista da vida social em escalas até atingirmos o mundial, tanto do ponto vista de sua produção social, econômica, política, ambiental e cultural, serão bases de análise em relação aos seus impasses, relações e contradições. A ciência, a tecnologia e a organização econômica do espaço em zonas, blocos ou regiões dentro do sistema capitalista, apontam para uma lógica espacial aberta, desigual, combinada, fragmentada e globalizada. As marcas das contradições, o desenvolvimento, subdesenvolvimento e a submundialização, expressos no cotidiano da sociedade brasileira, americana e mundial são nossos caminhos de observação. Os conflitos cada vez mais latentes, a demonstração de uma territorialidade que vem permitindo novas formas de analisar o espaço geográfico a partir desse tripé: Agrário, urbano e industrial.
Objetivo Geral: Compreender as dinâmicas de organização do espaço geográfico a partir das dinâmicas agrárias, urbanas e industriais em diferentes escalas e na perspectiva e pressupostos teóricos da geografia crítica.
Objetivos Específicos: Apresentar conceitos de espaço agrário, urbano e industrial enquanto representação geográfica. Trabalhado com exemplos de escalas territoriais e suas possíveis regionalizações; Expor os diferentes momentos e formas de ocupação do território para compor o desenho espacial seja na cidade ou no campo; Apontar as problemáticas do espaço brasileiro nas perspectivas acima levantadas; Discutir sobre as políticas do Estado na perspectiva do planejamento a partir da leitura e discussão dos textos;
Metodologia: Aula expositiva dialogada; Análise comparativa de gráficos, tabelas e imagens; Debates e seminários; análise interpretativa de informações geográficas; organização de linhas temáticas para pesquisas monográficas futuras. Produção de artigos ou pequenos textos.
Recursos Materiais: “Quadro”; Retroprojetor; Imagens; Base bibliográfica; elementos cartográficos, etc.
Avaliação: Sistema contínuo com participação direta e presencial; debates, seminários, micro-aulas; fichamentos, interpretações; relatórios e produção de textos; avaliações escritas;

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Discutindo a idéia de espaço geográfico: Breve histórico e elementos teórico-conceituais e limitações metodológicas; As práticas espaciais e os retalhos da realidade territorial; As regiões naturais; As regiões geográficas e caracterização do ambiente holístico; potencialidades e contradições do espaço geográfico.
2. Espaço geográfico questão agrária: Dimensões da produção do espaço agrário; circuitos, sistemas, redes e funções diferenciadoras dos espaços agrários a partir da agropecuária e os problemas da modernização agrícola e das questões sócio-ambientais; tecnologias modernas e produção rural. Estrutura fundiária e reforma agrária na América latina e no Brasil; A questão agrária na perspectiva do “novo rural”; modelos degradadores a partir dos complexos agro-industriais. Produção agrícola, movimentos sociais no campo e novas alternativas agro-ambientais na perspectiva da agra-biodiversidade; globalização e modernização da agropecuária a partir de modelos do Brasil; estudo de caso da questão agrária e ambiental na Amazônia, Nordeste e Centro-sul do Brasil.
3. Estudo do Espaço Urbano-Industrial: Estrutura sócio-econômica, nação, Estado, soberania e território na perspectiva urbano-industrial. O nascimento da cidade e a dinâmica capitalista de transformação do espaço geográfico. Urbanização e Revolução Industrial; O espaço transnacional e o processo urbano-industrial periférico; cidade, indústria e capitalismo; a cidade e a produção social do espaço geográfico; Intensificação urbano-industrial do capitalismo e a hiper-complexidade das relações de poder das grandes corporações capitalista; metropolização e megalópoles: desenhos, arranjos e relações espaciais; O urbano-industrial na perspectiva ecológica.
4. A complexidade do espaço urbano-industrial: do meio natural ao meio técnico-científico-informacional. Uma reorganização produtiva do espaço e as grandes crises sócio-ambientais. Ciberespaço e cibercultura, as redes virtuais e suas relações em meio aos complexos do capitalismo maduro. Da economia internacional ao processo de globalização e submundialização dos espaços de pobreza urbana. As diferenciações regionais da urbanização a partir dos espaços que mandam e dos espaços que obedecem.

Bibliografia:
ABRAMOVAY, Ricardo. O que é Fome. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1991.
ALTIERI, Miguel. Agroecologia Bases científicas para uma agricultura sustentável. Guaiba,/RS: Editora Agropecuária, 2002.
ALMEIDA, Jalcione. A Construção social de uma nova agricultura. Rio G. do Sul: Editora da UFRS, 1998.
ATLAN, Henri. Entre o Cristal e Fumaça. Rio de Janeiro. Jorge Zahar editor, 1992.
ALENCAR, Maria L. P. de. Constituição Brasileira e a Integração Latino-americana – soberania e supranacionalidade. João Pessoa: UFPB/Universitária, 2001.
ANDRADE, Manoel Correia de. O que é questão territorial no Brasil. São Paulo: Hcitec/Ipesp, 1995.
ANDRADE, Manoel Correia de. A Terra e o Homem no Nordeste. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1970.
ANDRADE, Manoel Correia de. O desafio Ecológico: utopia e realidade. São Paulo: Hucitec, 1994.
ANDRADE, Manoel Correia de. Geografia Econômica. São Paulo: Atlas, 1998.
ANDRADE, Manoel Correia de. Espaço, Polarização & Desenvolvimento. – Uma Introdução a Economia Regional. São Paulo: ATLAS, 1987.
ANDRADE, Manoel Correia de. Geografia Ciência da Sociedade – uma introdução a análise do pensamento geográfico. São Paulo: Moderna, 1993.
BACHELARD, G. A Poética do Espaço. Coleção os Pensadores. São Paulo: Ed. Abril, 1984.
BEZERRA, Maria do Carmo Lima e VEIGA, José Eli da. (Coordenadores). Agricultura sustentável. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis; Consórcio Museu Emílio Goeldi, 2000. (on-line)
BREITBACH, Áurea C. de Miranda. Espaço e Sociedade: O Papel do Trabalho na Transformação da natureza. In: Estudos sobre o conceito de Região. Porto alegre, RS. N.º 13, Agosto de 1988.
CARLOS, Ana Fani Alessandri. Espaço e Indústria (Coleção Repensando a Geografia). São Paulo Contexto / EDUSP, 1988.
CARLOS, Ana Fani Alessandri. A cidade. São Paulo: Contexto, 1996.
CASTRO, Iná E. GOMES, Paulo C. C. e CORRÊIA, R. L. (Org.). Explorações Geográficas. São Paulo: Bertrand Brasil, 1997.
CASTRO, Iná E. GOMES, Paulo C. C. e CORRÊIA, R. L. & MIRANDA, Mariana. EGLERE, Cláudio A. G. (Org.). Redescobrindo o Brasil – 500 anos depois. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.
CASTRO, Josué de. Geografia da Fome – o dilema brasileiro – pão ou aço. Rio de Janeiro: Cultrix, 1990.
CASTRO, Josué de. Ensaios de Geografia Humana. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1980.
CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo. Ática, 2000.
Ciência Social. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.
CORRÊIA, Roberto Lobato. A Rede Urbana. São Paulo: Ática, 1993.
CORRÊIA, Roberto Lobato. O Espaço Urbano. São Paulo: Ática, 1995.
CORRÊIA, Roberto Lobato. Região e Organização Espacial. São Paulo: Ática, 1995.
COIMBRA, Pedro e TIBÚCIO, José A. M. Geografia – uma análise do espaço geográfico. São Paulo: Habra, 1993.
CORRÊA, Roberto Lobato. Trajetórias Geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.
COSTA, Francisco Fábio da. Amazônia: fronteira agrícola, populações e meio ambiente (artigo). Guarabira: Uepb, 2002.
DIEGUES, Carlos Antônio. O Mito Moderno da Natureza Intocada. São Paulo: HUCITEC, 1996.
EGLER, Cláudio Antonio G. & MOREIRA, Emília de Rodat F. Ocupação Territorial da Paraíba. In. Atlas Geográfico do Estado da Paraíba e Governo do Estado da Paraíba. João Pessoa: Grafset, 1985.
FERRY, Luc. A Nova Ordem Ecológica. A árvore, o animal, o homem. São Paulo: Ed. Ensaio, 1994.
GALIZA, Diana Soares de. Modernização sem desenvolvimento na Paraíba: 1890-1930. João Pessoa: Idéia, 1993.
GEORGE, Pierre. Geografia Econômica. São Paulo: Difel, 1983.
GEORGE, Pierre. Geografia Urbana. São Paulo: Difel, 1990.
CRAZIANO DA SILVA, José. O novo rural brasileiro. Campinas/SP: UNICAMP, 1999.
GREGORY, Derek. MARTIN R. SMITH G. (Org.) Geografia Humana – Sociedade, Espaço e
HUBERMAN, Léo. História da Riqueza do Homem. Rio de Janeiro: LTC, 1990.
JÚNIOR, Caio Prado. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1976.
LAMARCHE, Hugue (Cord.) A Agricultura Familiar - do mito a realidade Vol. II. Campinas/SP: Editora da UNICAMP, 1998.
LOURENÇO, Antonio Fernando. Agricultura Ilustrada - liberalismo e escravismo nas origens da questão agrária brasileira. Campinas/SP: Editora da UNICAMP, 2001.
LÉNA, Philippe e OLIVEIRA, Adélia Engracia de. (Orgs.) Amazônia a fronteira agrícola vinte anos depois. Belém: CEJUP/Museu Emilio Goeldi, 1992.
MARTINE, George. Fases e faces da modernização agrícola brasileira. Rio de Janeiro: IPLAN – Inst. de Planej. n.º 15, 1989
MAGNOLI, Demétrio. O Mundo Contemporâneo – Relações internacionais 1945 – 2000. São Paulo: Moderna, 1996.
MAGNOLI, Demétrio e SCALZARETTO, Reinaldo. Atlas Geopolítica. São Paulo: Scipione, 1999.
MARITNS, José de Souza. Fronteira: a degradação do outro nos confins do humano. São Paulo: Hucitec, 1997.
MARANHÃO, Silvio (Org.). A Questão Nordeste – estudos sobre a formação histórica, desenvolvimento e processos políticos e ideológicos. São Paulo: Paz e Terra, 1984.
MARIANO NETO, Belarmino. Ecologia e Imaginário – memória cultural, natureza e submundialização. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2001.
MARIANO NETO, Belarmino “Capitalismo Maduro e Feridas no espaço tempo: Globalização ou Submundialização?” (artigo). Par’a’iwa – Revista de pós-graduandos de sociologia da ufpb. Nº 02 – João pessoa, junho de 2002. http://www.paraiwa.hpg.ig.com.br/02-marianoneto.html
MARIANO NETO, Belarmino “Morte Espetacular” (artigo) – CAOS – nº 04 – Agosto de 2002. http://chip.cchla.ufpb.br/caos/04 –marianoneto.html
MARIANO NETO, Belarmino. Informação Ambiental e Banalidade do Discurso. Par'a'iwa - revista dos pós-graduandos de sociologia da ufpb, João Pessoa/Pb. . http://www.paraiwa.hpg.ig.com.br/02-marianoneto.html v. 03, n. 01, p. 01-05, 2003.
MARIANO NETO, Belarmino (Líder) Terra – Grupo de Pesquisa Urbana, Rural e Ambiental – TGPURA. Universidade Estadual da Paraíba, Centro de Humanidades de Guarabira. Home page: http://www.uepb.rpp.br, e-mail belogeo@yahoo.com.br
MARIANO NETO, Belarmino. Topofilia, Ecologia e Imaginário: os velhos cariris da Paraíba. Par'a'iwa - revista dos pós-graduandos de sociologia da ufpb, João Pessoa/Pb. . http://www.paraiwa.hpg.ig.com.br/04-marianoneto.html v. 01, n. 04, p. 01-35, setembro de 2003.
MARIANO NETO, Belarmino. Geografia Cultural e construção do individuo liberal. Portugal: http://olharesgeograficos.blogs.sapo.pt, agosto de 2005.
MARIANO NETO, Belarmino. A produção do espaço agrário paraibano. Par'a'iwa - revista dos pós-graduandos de sociologia da ufpb, João Pessoa/Pb. . http://www.paraiwa.hpg.ig.com.br/05-marianoneto.html v. 01, n. 05, março de 2004.
MARIANO NETO, Belarmino. Vários, artigos, caderno de texto e dissertação de mestrado (on-line arquivo pdf). João Pessoa: Sebrae, http://www.biblioteca.sebrae.com.br/. 2005.(click busca por autor).
MARIANO NETO, Belarmino. & VICENTE, Paulo Benício. Ligas Camponesas em Mamanguape/PB. Par'a'iwa - revista dos pós-graduandos de sociologia da ufpb, João Pessoa/Pb. . http://www.paraiwa.hpg.ig.com.br/04-marianoneto.html v. 01, n. 04, p. 01-20, setembro de 2003.
MOREIRA, Emília de Rodat F. Capítulos de Geografia Agrária da Paraíba. João Pessoa: UFPB/Universitária: 1997.
MOREIRA, Emília de Rodat F. Notas sobre o processo de modernização recente da agricultura brasileira. Boletim de Geografia Nº 7. Departamento de Geociências/UFPB, l988.
MOREIRA, Emília de Rodat F & MOREIRA, Ivan Targino. Agro indústria Canavieira Paraibana: expansão e crise. ANAIS XI - Encontro Nacional de Geografia Agrária. Universidade Estadual de Maringá. 1992.
MOREIRA, Emília de Rodat. Por um Pedaço de Chão. Vol. I e II. João Pessoa: UFPB/Universitária: 1997.
MOREIRA, Emília de Rodat Fernandes. Mesorregiões e Microrregiões da Paraíba. João Pessoa: GAPLAN, 1989.
MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do Futuro. São Paulo: Cortex Editora, 2002.
MORAIS, Antônio Carlos Robert. Território e História no Brasil. São Paulo. Hucitec, 2002.
MULLER, Geraldo. Complexo Agro-industrial e Modernização Agrária. São Paulo: Hucitec, 1989.
OLIVEIRA, Francisco de. Elegia para uma Re(li)gião. São Paulo: Paz e Terra, 1987.
PEREIRA, Antonio Alberto. Além das Cercas - um olhar educativo sobre a Reforma Agrária. João Pessoa: Idéia, 2005.
PERICO, Rafael Echeverri, e RIBEIRO, Maria Pilar. Ruralidade, Territorialidade e Desenvolvimento Sustentável. Brasília/DF: IICA, 2005.
RODRIGUES, Arlete Moysés. Moradia nas Cidades Brasileiras. São Paulo: Contexto, 1989.
RODRIGUES, Arlete Moysés. A utopia da Sociedade Sustentável. Campinas: Unicamp/Nepam. Revista Ambiente & Sociedade. Ano I. Nº 2, jan/jun 1998.
SANTOS, Milton. Por uma geografia nova. São Paulo: Hucitec, 1986.
SANTOS, Milton. Por uma outra globalização – do pensamento único à consciência universal. RJ/SP: Record, 2001.
SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo – razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1997.
SANTOS, Milton. Natureza e sociedade Hoje: uma leitura geográfica. São Paulo: Hucitec, 1997.
SANTOS, Milton e SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil - Território e sociedade no início do século XXI. São Paulo, Record, 2001.
SOUZA, M. A. de. SANTOS, Milton. SCARLATO, F. C. ARROYO, M. O Novo Mapa do Mundo – Natureza e Sociedade de Hoje: uma leitura geográfica. São Paulo: Hucitec/Anpur, 1997.
SANTOS, Milton. Espaço e Sociedade. Petrópolis: Vozes, 1992.
SANTOS, Milton. Ensaios de Geografia contemporânea (Org. Ana Fani). São Paulo: Edusp, 2001.
SANTOS, Milton. Território e Sociedade. (entrevista com Milton Santos). São Paulo: Editora Fundação Perseu Abrano, 2000.
SILVEIRA, Luciano; PETERSEN, Paulo & SABOURIN, Eric. (orgs.) Agricultura Familiar e Agroecologia no Semi-Árido – avanços a partir do Agreste da Paraíba. Rio de Janeiro: AS-PTA, 2002.
SILVA, José Graziano da. O que é questão agrária. São Paulo: Brasiliense, 1982.
SILVA, José Graziano da. Modernização Dolorosa. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.
SOUSA SANTOS, Boaventura de. Pela Mão de Alice – o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2001.
TAVARES, Carlos A. P. O São Comunidades Alternativas. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1983.
UMBELINO, A. A Geografia das lutas no campo. São Paulo: Contexto, 1988.
VEIGA, José Eli. O que é Reforma Agrária. São Paulo: Brasiliense, 1990.
VEIGA, José Eli. O Desenvolvimento Agrícola – uma visão histórica. São Paulo: Hucitec, 1991.
VERNIE, J. O Meio Ambiente. Campinas, SP: Papirus, 1994.
VIERTLEr, Renate Brigitte. Ecologia Cultural - uma antropologia da mudança. São Paulo: Ática, 1988.
WANDERLEY, Maria Nazareth Baudel (Org.). Globalização e desenvolvimento sustentável: Dinâmicas sociais rurais no Nordeste brasileiro. São Paulo: Polis/Ceres, 2004.
ZAMBERLAM, Jurandir & FRONCHETI, Alceu. Agricultura Ecológica - preservação do pequeno agricultor e do meio ambiente. Petrópolis/RJ: Editora Vozes, 2002.

publicado por olharesgeograficos às 02:57
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Geografia Cultural e Teor...

. GEOGRAFIA CULTURAL E DA P...

. A MULTICULTURALIDADE COMO...

. Mulher e Natureza

. LUGAR SOCIAL E DESENVOLVI...

. RIO+20: NOVA FARSA ECOLÓG...

. GEOGRAFIA DAS ÁGUAS: ESTU...

. PROGRAMA DE ANTROPOLOGIA ...

. A PAISAGEM NO CONTEXTO MU...

. A DINÂMICA SÓCIO-AMBIENTA...

.arquivos

. Dezembro 2014

. Julho 2012

. Dezembro 2009

. Fevereiro 2009

. Julho 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds